DICA SOBRE COMO ESTUDAR PORTUGUÊS PARA CONCURSO PÚBLICO


Estudar a matéria de Português para concursos públicos não é tarefa das mais fáceis. Mesmo aqueles estudantes que conseguiram excelentes notas durante o ensino médio, ou em outros cursos dessa matéria, encontram algum tipo de dificuldade quando se deparam com questões de português para concursos públicos.

Isso acontece exatamente porque as bancas querem aferir do candidato, não é apenas o conhecimento básico do assunto, como acontece nos exames escolares, mas a capacidade de raciocínio, controle emocional, atenção, senso de orientação diante de situações difíceis e estressantes, entre outros. Por esse motivo, utilizam diversas estratégias para forçar o candidato (mesmo aquele mais preparado) a ter dúvida sobre determinada questão, como as famosas “pegadinhas”, por exemplo.

Resumindo: as provas de concursos públicos visam selecionar os melhores servidores para ocupar determinados cargos públicos, pois para o órgão contratante é prova suficiente que os aprovados em um teste de alto grau de dificuldade (entre milhares de candidatos) são pessoas disciplinadas, organizadas, determinadas em alcançar seus objetivos e, portanto, capacitadas para exercer todas as funções que o cargo exigir.

É praticamente a mesma coisa que acontece nas seleções das empresas privadas, onde são realizadas entrevistas e outras atividades para a escolha dos melhores candidatos.

Voltando a falar sobre a matéria de português, uma prática muito comum dos candidatos quando iniciam o estudo dessa matéria para concursos públicos, é adquirir de pronto uma gramática ou um livro especifico. Muitos sequer procuram um professor ou colega mais experiente para se informar sobre os assuntos que são cobrados nas questões.

Uma excelente dica, principalmente para os novatos, é adquirir as provas dos concursos passados de determinada instituição que tradicionalmente organiza o concurso pretendido ou de qualquer outra.

Com essas provas nas mãos o candidato deve fazer o seguinte:

1. separar as questões por assunto, da mesma forma como é colocado no conteúdo programático dos editais.

Exemplo prático para quem está estudando para provas da FCC:

Edital: Língua Portuguesa – Crase, Regência nominal e verbal, Pontuação.

QUESTÕES – ASSUNTO: CRASE (QUESTÃO – FCC)

Muitos consumidores não se mostram atentos …… necessidade de sustentabilidade do ecossistema e não chegam …… boicotar empresas poluentes; outros se queixam de falta de tempo para se dedicarem …… alguma causa que defenda o meio ambiente.

As lacunas da frase acima estarão corretamente preenchidas, respectivamente, por A) à – a – a

B) à – a – à

C) à – à – a

D) a – a – à

E) a – à – à -

2. com a ajuda de uma gramática o candidato deve analisar todas as alternativas da questão, utilizando as regras e dicas sugeridas pelos professores. Esse comentário será o único recurso que ajudará o candidato na fixação do assunto.

Exemplo do comentário dessa questão:

1ª LACUNA – o termo regente “atentos” exige a preposição “a”, e o termo regido “necessidade” é um substantivo feminino que admite o artigo “a”.

1ª dica: para confirma a ocorrência ou não da crase, basta trocar a palavra feminina por uma masculina equivalente, se aparecer “ao” usa-se crase, caso apareça “a” ou “o” não haverá crase.

não se mostram atentos à necessidade = CRASE

não se mostram atentos ao necessitado = CRASE

2ª dica: substituir a preposição “a” por outra, se o artigo “a” permanecer, então a crase é aplicável.

não se mostram atentos à necessidade = CRASE

não se mostram atentos para a necessidade = CRASE

2ª LACUNA – não ocorre crase antes de verbo.

não chegam a / boicotar = SEM CRASE

3ª LACUNA – não ocorre crase antes de pronomes indefinidos (algum, bastante, um…)

Para se dedicarem a / alguma (sentido vago) causa que defenda o meio ambiente = SEM CRASE

GABARITO – LETRA: A

3. imprima todas as questões, coloque uma folha identificando o assunto, encaderne e use como material de revisão.

Exemplo: PORTUGUÊS – ASSUNTO: CRASE/FCC

Além de seguir essas dicas, é importante observar o seguinte:

– os tópicos de português não desatualizam, como acontece com as matérias de Direito, por exemplo. Portanto, colecione o máximo de questões que puder, independentemente, de ano, área de estudo ou do cargo pretendido;

– refaça várias vezes o exercício das mesmas questões, até conseguir fixar as regras. Lembrando que podem ser usadas questões de outras bancas. A fórmula é essa: TEORIA + PRÁTICA = APROVAÇÃO.

– O candidato não deve ficar focado somente em “macetes” para resolver questões de português, claro que existem dicas valiosas dos professores que funcionam muito bem, como o assunto de crase, por exemplo, mas isso não é regra. Em caso de dúvida o que vai funcionar de verdade é a orientação de um professor, pois as bancas exigem dos candidatos o conhecimento da norma padrão da língua portuguesa. Esqueça a decoreba!

– Se você não tem condições financeiras para comprar uma gramática ou frequentar um curso, saiba que a internet está repleta de materiais de excelente qualidade produzidos e disponibilizados por professores e concurseiros que gostam de compartilhar o conhecimento.

RESUMO DA ÓPERA – Durante a preparação, muitos candidatos acabam deixando de lado o estudo de português, pois acham que no momento da prova vão simplesmente conseguir adivinhar assuntos como concordância, regência, verbo, ou interpretação de texto. É importante que esses candidatos saibam que a disciplina de português é responsável por grande parte das aprovações nos concursos públicos.

“Prestar prova de Concurso Público não é a mesma coisa que marcar cartão de loteria… Estude o máximo que puder, para ter no momento da prova, pelo menos o benefício da dúvida.” [Fontenele]

Fonte: concurseirosolitário.com.br


Sistema de Ensino Planeja Concursos - CNPJ 31.442.657/0001-32

atendimento@planejaconcursos.com

© 2014 - 2020 Planeja Concursos