Como estudar informática para concursos públicos?


De longe uma das matérias mais temidas por concurseiros é a informática, concorda? Na maioria dos concursos públicos abertos pelo país o tema é cobrado nas provas e pode levar você a conseguir sua vaga. Pois venha comigo e vamos destruir essa imagem negativa.

Diferentemente de matérias tradicionais, como português, direito constitucional, matemática financeira, entre outras, a informática ainda causa estranheza nos concurseiros, principalmente naqueles que já passaram dos 30 anos e que diferentemente das gerações mais novas, não cresceram com um teclado e um mouse nas mãos.

Veja bem, diferentemente das disciplinas citadas acima, quem estuda para informática dificilmente tem acesso a uma vasta bibliografia, livros e autores de referência para o caso de uma dúvida, exercícios intermináveis para praticar o que foi aprendido. Quem estuda informática para ingressar na carreira pública sente até mesmo falta de uma dose de conceitos bem definidos e estruturados, certo?

No entanto - ainda mais para os esperançosos concurseiros - é fundamental, sempre, encontrar e se agarrar a um ponto positivo. E qual seria esse ponto no que se refere à informática para concursos públicos? Certamente é o fato de que 90% dos conteúdos programáticos abordam o mesmo tema: Excel.

Veja bem: Informática é cobrada em certames da área administrativa, basicamente naquelas em que o aprovado exercerá funções de escritório, de organização, controle e apuração de dados, etc. O programa da Microsoft é o mais utilizado para a edição das centenas de planilhas que os auditores da receita, por exemplo, utilizam no seu dia a dia. E, mesmo que, por muitas vezes algo bastante diferente disso, como conteúdo de hardware, apareça no edital, dificilmente será cobrado do candidato os passos para se trocar uma placa de vídeo, ou algo sobre o compartilhamento nas redes sociais - sim, o assunto é referenciado em alguns editais públicos.

Como sabemos, muito do sucesso da aprovação em concurso público ou do fracasso da reprovação é decidido pelo estudo, e mais ainda, por aquilo no qual o candidato irá se focar e estudar com mais afinco. Quem pode dizer que nunca se arrependeu amargamente de passar dias estudando um tópico que nem de longe foi cobrado pela banca, em detrimento de algum outro que faria uma diferença crucial? Aqueles que dizem nunca ter passado por isso, certamente, concurseiro não é.

Por isso eu enfatizo, desmistifique a aura de terror que envolve a disciplina. Não pense que só por não estar tão familiarizado à máquina, irá perder sua vaga para um jovem que está acostumado a ficar 12 horas na frente da tela por dia. Quem garante que dessas 12 horas, 9 horas não são jogando ou desperdiçando o tempo (que você está aproveitando ao máximo nos estudos)? Lembre-se que se a banca cobrar aquele conhecimento mais obscuro, aquela nota de rodapé desconhecida, nem você, nem ele, e, talvez, nem um programador vá saber responder certamente. Não se desespere, o emocional é crucial para o sucesso nesse campo tão concorrido.

Ahhh, mas você se atrapalha e se assusta com as palavras e siglas, certo? Hardware, software, modem, wi-fi, DSL, 3G, IP, bios, Php, Java, processador, HTML, etc. Pois então, acalme-se. Como disse lá no início, a não ser que você vá prestar um concurso para algum cargo específico na área, como web designer, técnico em manutenção ou programador, nada disso será cobrado. FOCO, essa é a palavra chave para quem quer aprender informática e ir bem na prova. Foquemos no que importa, sempre.

Vai concorrer para algum cargo que gere pessoas, laudos, números, vai mexer com finanças, dados numéricos e estatísticos, remessa e organização de processos, etc.? Então já sabe, vamos aprender Excel. Pode ver, ele estará lá no seu edital.

Conferiu? Achou, viu? Eu disse.

Não achou, olhe de novo e veja se não há algo com o nome de Calc. Encontrou? Viu, eu disse também. Eu explico: O Calc é o editor de planilhas do BrOffice, um software livre que faz as mesmas coisas que o produto da Microsoft e que é escolhido por alguns órgãos públicos por ser totalmente gratuito. Na prática ele é IGUAL ao Microsoft Excel, incluindo os atalhos, comandos e funções, abrindo os mesmos arquivos, etc. Podemos dizer que 95% de tudo que os 2 programas fazem, fazem de maneira idêntica. Portanto, estudando 1 deles, estudaremos os dois.

Convencido de que Excel é o grande assunto a ser batido em informática? Não? Então veja essa: Um dos maiores sites de questões do Brasil possui, somente na categoria "noções de informática", mais de 1.400 questões sobre Excel cadastradas, enquanto que para hardware, menos da metade, para PowerPoint - assunto sempre listado nos editais, juntamente com o Excel - menos de 25% disso, exatas 371 questões. Agora te convenci, certo?

Então vamos. Definido nosso foco, Excel, precisamos encontrar um meio de dominá-lo, e para isso temos a melhor dica: Acesse o melhor site especializado no software no Brasil, o www.aprenderexcel.com.br e navegue pelas dicas, tutoriais, todas as funções mais importantes explicadas, planilhas para download, etc. E o melhor: no site há uma área voltada somente aos concurseiros.

E por fim, duas dicas de ouro para garantir a sua aprovação.

Primeiro: Conheça a banca da sua prova. Conheça o método do Cespe, da banca Fundação Carlos Chagas - FCC, ou ainda da Cesgranrio ou da Fundação Getúlio Vargas - FGV, as principais organizadoras do país.

Segundo: Treine, treine, faça exercícios, treine mais um pouco, abra as planilhas do site, veja como elas são montadas, entenda as fórmulas, exercite, treine, refaça os exercícios até não errar e ter certeza do porquê está acertando. Prepare-se com calme e foco. Palavrinha mágica.

Pronto, agora é só comemorar a aprovação =)

Fonte: www.acheconcursos.com.br


Sistema de Ensino Planeja Concursos - CNPJ 31.442.657/0001-32

atendimento@planejaconcursos.com

© 2014 - 2020 Planeja Concursos