Concurso IBGE: definida organizadora para 600 vagas

 

 

Uma ótima notícia foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) da edição do dia 19 de novembro. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou o nome da banca organizadora do seu próximo concurso. 

Nesta semana, o JC Concursos havia entrado em contato com a assessoria de imprensa do IBGE, que tinha informado que a o órgão escolheria em breve a empresa organizadora, já que a intenção é lançar o edital até o final de dezembro.

A empresa escolhida para ficar responsável pela elaboração, organização e execução de todas as etapas do certame é aFundação Getúlio Vargas (FGV). Agora, o próximo passo do instituto é assinar o contrato de prestação de serviços com a FGV e começar a elaborar o edital.


 

Oportunidades do concurso IBGE


Ao todo, o processo seletivo contemplará 600 vagas, sendo 460 para técnico em informações geográficas e estatísticas; 90 para analista de planejamento, gestão e infraestrutura em informações geográficas e estatísticas; e 50 para tecnologista em informações geográficas e estatísticas. O cargo de técnico será destinado aos candidatos com ensino médiocompleto, enquanto os outros dois empregos exigirão formação superior em áreas específicas.


Segundo a atual tabela de remuneração dos servidores federais, os salários para técnico ficam entre R$ 3.471,85 e R$ 5.011,01, com a Gratificação por Qualificação (GQ) no nível máximo e o auxílio-alimentação de R$ 373. Os vencimentos para analista e tecnologista partem de R$ 7.373,49 e chegam a R$ 9.107,88 com a Retribuição por Titulação (RT) no nível de doutor e o benefício-alimentação.

Servidores do IBGE recebem, como benefícios, auxílio-transporte e assistência à saúde (médica e odontológica), que é opcional e pode ser usufruída pelo funcionário e seus dependentes.

Vale lembrar que o prazo máximo estipulado pelo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) para a publicação do edital é 27 de janeiro de 2016.

 

 

Lotação do concurso IBGE


Com relação à distribuição das vagas, o departamento de comunicação do instituto disse que ela ainda não foi definida, mas a probabilidade é de que o cargo de nível médio seja lotado em unidades de todo o Brasil e as chances de nível superior fiquem concentradas no Estado do Rio Janeiro.

A assessoria de imprensa do IBGE também informou que o que foi enviado às empresas candidatas à organização do certame é um projeto básico, para que, com base nessas informações, as instituições possam apresentar suas propostas. Ou seja, a distribuição das vagas que consta no documento pode sofrer alterações até a publicação do edital.

Consta no projeto que a maior parte das oportunidades de nível superior será para o Rio de Janeiro (118). As demais chances podem ficar para os Estados de São Paulo (3), Amazonas (1), Amapá (2), Bahia (1), Espírito Santo (1), Goiás (1), Minas Gerais (3), Mato Grosso (1), Pará (2), Pernambuco (1), Piauí (1), Rio Grande do Norte (1), Rio Grande do Sul (1) e Santa Catarina (2), além do Distrito Federal (1).

 

Para o posto com exigência de ensino médio, deve haver ofertas para todos os Estados, exceto para Roraima e Amapá. Portanto, a previsão é de que as chances fiquem para as regiões de São Paulo (56), Acre (5), Alagoas (8), Amazonas (7), Bahia (39), Ceará (24), Distrito Federal (20), Espírito Santo (9), Goiás (18), Maranhão (12), Minas Gerais (46), Mato Grosso do Sul (6), Mato Grosso (8), Pará (18), Paraíba (8), Pernambuco (25), Piauí (10), Paraná (31), Rio de Janeiro (36), Rio Grande do Norte (9), Rondônia (5), Rio Grande do Sul (30), Santa Catarina (17), Sergipe (8) e Tocantins (5).

Para São Paulo, estima-se que a distribuição das vagas de técnico ocorra nos seguintes 24 municípios: Araraquara (1), Avaré (1), Barretos (1), Bauru (2), Botucatu (1), Catanduva (1), Guaratinguetá (1), Itu (1), Limeira (1), Lins (1), Marília (1), Mauá (1), Ourinhos (1), Presidente Venceslau (1), Registro (1), Santos (2), São José do Rio Pardo (1), São Paulo (31), São Sebastião (1), Sumaré (1), Suzano (1), Tatuí (1), Taubaté (1) e Tupã (1).

 

 

Atribuições do técnico do IBGE


Os principais deveres do técnico em informações geográficas e estatísticas são: coletar dados em diversas fontes, organizar, criticar, corrigir, lançar, tratar e manter os dados garantindo a sua integridade, confidencialidade, disponibilidade, atualização e fidedignidade; realizar entrevistas em domicílios e estabelecimentos informantes para obtenção de dados conforme metodologia e plano de supervisão da pesquisa; realizar levantamentos topográficos/geográficos/cartográficos com vistas a manter atualizada a base territorial dos municípios; proceder à compilação, montagem e organização dos elementos cartográficos, segundo as especificações e normas adotadas; executar e apoiar as tarefas ligadas à manutenção e atualização da rede física dos marcos geodésicos do IBGE; atuar nas diversas modalidades de disseminação de dados e informações, prestando suporte e orientações aos usuários; entre outros.

 

 

Sobre a solicitação do concurso IBGE


Em agosto de 2014, o IBGE enviou ao Ministério do Planejamento um pedido para abertura deconcurso com 1.564 oportunidades no órgão. Porém, o instituto afirmou em uma reunião com a ASSIBGE-SN (sindicato nacional do órgão) que pretendia abrir apenas 660 vagas – 904 a menos do que o esperado, sendo 440 voltadas para o posto de técnico, que exige nível médio, e 220 para profissionais graduados, nas funções de analista e tecnologista.

Quanto aos locais de trabalho, as vagas seriam lotadas nas agências do instituto no interior do país e nas sedes estaduais do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

A redução das ofertas foi considerada "decepcionante" pela ASSIBGE-SN. "Existia uma previsão inicial de abertura de cerca de 1.500 vagas, que ainda assim seriam insuficientes para suprir a defasagem de profissionais do IBGE ", afirmou Matheus Canário, representante do sindicato.

 

 

Defasagem no IBGE


De acordo com a assessoria do IBGE, há uma grande defasagem de pessoal no instituto. As aposentadorias concedidas nos últimos anos fizeram com que, agora, o IBGE enfrente uma falta de pessoal. A informação é também confirmada pelo sindicato. "Temos hoje vários servidores sobrecarregados de trabalho, já que o IBGE faz concursos esporádicos e com vagas insuficientes para repor o quadro", acrescenta Canário.

Com 578 agências espalhadas pelos principais municípios brasileiros, o IBGE possui aproximadamente 5.760 funcionários efetivos, segundo levantamento de março de 2014. O problema é que, de acordo com Susana Drumond, executiva nacional da ASSIBGE-SN, o atual quadro de pessoal diminuirá drasticamente nos próximos anos, pois quase 70% dos servidores têm mais de 26 anos de tempo de serviço.

Para os cargos com exigência de ensino médio, a situação é ainda mais crítica, já que o índice de funcionários efetivos com mais de 26 anos de serviço chega a 82%.

 

 

Último concurso


O IBGE publicou, em 2013, um edital com 420 ofertas para os mesmos cargos que serão abertos. Na época, a Cesgranrio foi a empresa organizadora e os vencimentos oscilaram entre R$ 2.813,10 e R$ 7.930,24.

 

Quem completou o ensino médio tinha a chance concorrer a 300 vagas de técnico em informações geográficas e estatísticas. A função havia abrangido todo o país, com exceção do Distrito Federal, e pagou salário entre R$ 2.813,10 e R$ 4.210,49, considerando o vencimento inicial e as gratificações de desempenho e qualificação.

 

Já os candidatos com diploma de graduação estavam aptos a disputar 132 ofertas no Rio de Janeiro (RJ), com remunerações mensais iniciais que variaram de R$ 6.355,60 a R$ 8.907,45, incluindo gratificação de desempenho e retribuição por titulação.

 

Do total de colocações para profissionais com nível superior completo, havia 60 oportunidades para analista de planejamento, gestão e infraestrutura em informações geográficas e estatísticas; 60 de tecnologista em informações geográficas e estatísticas; e 12 para pesquisador em informações geográficas e estatísticas (exige titulação mínima de mestre).

 

A função de analista foi preenchida nos departamentos de administração escolar; planejamento e gestão; análise de sistemas - desenvolvimento de aplicações, suporte à comunicação e à rede e suporte operacional; arquivologia; auditoria; ciências contábeis; designer institucional; orçamento e finanças; recursos humanos/administração de pessoal; recursos humanos/desenvolvimento de pessoas; recursos materiais; e logística.

 

Aos tecnologistas foram destinadas as áreas de análise agrícola, pecuniária ou socioeconômica; biblioteconomia; cartografia; edição de vídeo; estatística; geografia; geoprocessamento; e programação visual.

 

Já os interessados na carreira de pesquisador escolheram entre os segmentos de administração de dados geoespaciais; demografia; finanças públicas; geodésia física; geografia agrária; geomorfologia; gestão da qualidade; podologia; sistema financeiro; sociologia rural; e sociologia/economia com olhar social.

 

Todos os concorrentes prestaram testes objetivos com questões de múltipla escolha. Em seguida, houve provas discursivas para analista e avaliações práticas para tecnologista.

 

 

Conteúdo programático para técnico - concurso de 2013


Língua portuguesa: compreensão e interpretação de texto; a organização textual dos vários modos de organização discursiva; coerência e coesão; ortografia; classe, estrutura, formação e significação de vocábulos; derivação e composição; a oração e seus termos; a estruturação do período; as classes de palavras: aspectos morfológicos, sintáticos e estilísticos; linguagem figurada, e pontuação.

Raciocínio lógico: avaliação da habilidade do candidato em entender a estrutura lógica de relações entre pessoas, lugares, coisas ou eventos, deduzir novas informações e avaliar as condições usadas para estabelecer a estrutura daquelas relações. As questões das provas poderão tratar das seguintes áreas: estruturas lógicas; lógica de argumentação; diagramas lógicos; aritmética, álgebra e geometria básica.

Geografia: noções básicas de cartografia: orientação: pontos cardeais; localização: coordenadas geográficas (latitude e longitude); representação: leitura, escala, legendas e convenções. Natureza e meio ambiente no Brasil: grandes domínios climáticos; ecossistemas. As atividades econômicas e a organização do espaço: espaço agrário: modernização e conflitos; Espaço urbano: atividades econômicas, emprego e pobreza; a rede urbana e as regiões metropolitanas. Formação territorial e divisão político-administrativa: divisão político-administrativa; organização federativa.

Conhecimentos específicos: conhecimentos específicos sobre o IBGE: informações sobre a instituição, conceitos básicos para o desenvolvimento do trabalho na agência e da atividade do técnico de coleta (apostila disponibilizada no site da Fundação Cesgranrio para download).

Conhecimentos gerais: elementos de política brasileira. Cultura e sociedade brasileira: música, literatura, artes, arquitetura, rádio, cinema, teatro, jornais, revistas e televisão. História do Brasil. Descobertas e inovações científicas na atualidade e seus impactos na sociedade contemporânea. Meio ambiente e sociedade: problemas, políticas públicas, organizações não governamentais, aspectos locais e aspectos globais. Panorama da economia nacional. O cotidiano brasileiro.

Noções de informática: correio eletrônico (mensagens, anexação de arquivos, cópias). Periféricos. Componentes. Estruturação de diretórios, subdiretórios e arquivos. Windows 7. Browser.

 

Autor: Camila Diodato e Yahell Luci Lima

Fonte: Jc Concursos

Please reload

Últimas

September 13, 2019

Please reload

PLANEJACONCURSOS.COM

PARCEIROS:

logo gen.jpg
Logo_cursoenfase.png

REDES SOCIAIS:

  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
Planeja Concursos - © 2014 - 2019 
Sistema de Ensino Planeja Concursos - CNPJ 31.442.657/0001-32