Todos os concursos valem a pena?

 

 

 

Uma dúvida que frequentemente atormenta os candidatos quando sai um edital é saber se determinado concurso vale ou não a pena. Claro que o quesito número um é o tipo de atividade a ser desempenhada, porque, se for incompatível com o perfil do candidato, não é edital que interesse. Além disso, há diversos fatores, como remuneração, quantidade de matérias que serão cobradas e local das vagas. Mas o aspecto mais difícil de julgar, muitas vezes, é o tipo de vaga oferecida e as reais possibilidades de ser chamado.

Vagas no edital
A melhor notícia para quem aguarda um concurso é a publicação de um edital com número determinado de vagas. Isso permite uma avaliação concreta quanto à atratividade da oportunidade e se vale o investimento, pois quem for aprovado dentro daquele número tem garantia de nomeação/contratação dentro do prazo de validade do concurso.

Ainda assim, restam dois aspectos a serem considerados. O primeiro deles é que o prazo de validade dos concursos tem limite de até dois anos, prorrogáveis por mais dois. Também é possível que seja menor. Como é difícil prever esse processo, mostra-se importante que o candidato continue estudando e prestando outros concursos, para aumentar as chances de começar a trabalhar logo.

A outra questão é o número de vagas oferecidas. Alguns editais oferecem poucas vagas, e fazem um cadastro de reserva para determinado número de aprovados. Dessa forma, a garantia de emprego é reduzida mas, ainda assim, pode ser válido participar do concurso. Se o candidato estiver bem preparado, poderá ser aprovado; afinal, alguém será. E não são raros relatos de candidatos que passaram em primeiro lugar que se dizem totalmente surpresos – não esperavam tal conquista.

E ainda há a possibilidade de o órgão chamar aprovados além das vagas, utilizando o cadastro de reserva.

Por outro lado, se um concurso com poucas vagas cobra muitas matérias que não estavam sendo estudadas, é preciso cautela para decidir se deve ou não efetuar a inscrição, já que o investimento será elevado e sem garantia de sucesso.

Vagas para cadastro de reserva        
Quando o edital não oferece vagas - apenas formará cadastro de reserva – não há garantia para os aprovados. O cadastro de reserva é um “banco de aprovados” para o preenchimento de vagas que podem surgir ou não durante o prazo de validade do concurso.

Nesse caso, é importante investigar o histórico da instituição. Alguns órgãos e empresas têm tradição de realizar concursos para cadastro de reserva, mas normalmente chamam muitos candidatos. É o caso de alguns tribunais. Mas há concursos para cadastro de reserva que, efetivamente, chamam muito poucos aprovados ou até mesmo nenhum, já que não há obrigatoriedade definida.

Entretanto, há situações em que o judiciário tem obrigado a administração pública a nomear ao menos um candidato, em função do princípio da razoabilidade, considerando que a realização de um concurso pressupõe a necessidade de uma vaga, no mínimo. Atualmente, tanto o judiciário quanto o Ministério Público tem sido sensíveis à expectativa criada nos candidatos que se dedicaram, que investiram tempo, dinheiro e estudo para depois serem frustrados com a não convocação. Nesse sentido, pode-se observar uma tendência de que não sejam mais realizados concursos sem vagas definidas.

 

Por exemplo, o Banco do Brasil já tem publicado editais com vagas, em razão de acordo firmado com o Ministério Público. Existem também algumas iniciativas isoladas de projetos de lei criando a obrigatoriedade da previsão de vagas no edital – infelizmente, o que tramitava no Congresso Nacional está parado, por vício de iniciativa (teria de ser enviado pela presidente e não por algum senador, como foi o caso).

Existe ainda uma situação excepcional, em que aprovados em cadastro de reserva podem pleitear a nomeação: quando há terceirizados ocupando a vaga que deveria ser preenchida por concurso público. Nesse caso, o judiciário poderá ser acionado para garantir o direito do aprovado a assumir o cargo.

Vagas temporárias
Quem busca concurso público, em geral, está buscando uma solução definitiva para a sua vida. Sob essa ótica, não faria muito sentido falarmos em concurso para cargo temporário. Entretanto, esse pode ser um recurso válido para o candidato continuar estudando até ser aprovado para um cargo efetivo. 

O prazo de duração do contrato virá expresso no edital e também a informação quanto à possibilidade ou não de prorrogação. Podemos citar como exemplo o concurso para o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), cujo edital está sendo aguardado a qualquer momento.

O que observar    
A fim de facilitar a decisão se um concurso é interessante ou não, o aspecto mais importante a ser considerado em relação ao tipo e à quantidade de vagas oferecidas é o custo/benefício.

Esclarecendo melhor, se você estiver muito bem preparado e os outros aspectos (atividade, salário, localização da vaga) forem do seu interesse, mesmo para poucas vagas ou cadastro de reserva pode valer a pena, porque é mais uma oportunidade de conquistar a vaga, mantendo o estudo na mesma direção.

Se, ao contrário, você tiver de desviar muito o foco do estudo que estava fazendo ou ainda estiver muito no início da preparação, observe o que está sendo oferecido e quanto você terá de investir para conquistar a vaga. Se perceber que as chances são muito pequenas, talvez seja melhor se preparar para uma oportunidade melhor mais adiante. Mas, para isso, construa uma boa estratégia de estudo. Assim, cada vez você terá uma melhor preparação e será preciso menos esforço para aproveitar os editais futuros – a relação custo/benefício torna-se cada vez mais favorável.

 

Autor: Lia Salgado

Fone: G1

Please reload

Últimas
Please reload

PLANEJACONCURSOS.COM

PARCEIROS:

logo gen.jpg

REDES SOCIAIS:

  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
Planeja Concursos - © 2014 - 2019 
Sistema de Ensino Planeja Concursos - CNPJ 31.442.657/0001-32